quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Espíritos miseráveis

Aqui estamos então, no paraíso, nos achando melhor que tudo e todos. Nos iludindo, pensando que entendemos o mundo, que nossos problemas vão se resolver, que a ciência irá curar o câncer, que nós vamos vencer.

Nós não vamos vencer. Nós não conseguimos vencer nem a nós mesmos. Esta guerra já nos destruiu. Estamos mortos.

Talvez nós sejamos apenas espíritos miseráveis mesmo. Nós nos esquecemos do imenso poder que tínhamos, correndo em nossas veias. Ligamos o piloto automático. Ficamos só esperando acontecer. Esperando o final, esperando uma catástrofe, esperando algo que nos tire do espetáculo e coloque-nos de volta na Terra.

Mas não aconteceu. E este é nosso paraíso agora. Fingimos que esse é nosso vitorioso final.

Mate-me,por favor, para que eu possa viver de novo. Para eu sentir o poder correndo nas veias novamente. Para eu ser mais que uma sombra com um coração que bate.

6 comentários:

ELTINHO disse...

Muito bom o blog, tem um tema legal

http://redacaogeral.blogspot.com/

Paulo Fraga disse...

Ótima escrita, parabens!

Anderson Meireles disse...

Bela reflexão!
Também sou adepto de dizer pouco!

meps. disse...

Se for mesmo o final, realmente, nada de vitorioso. Nós não só não vencemos, mas já perdemos para nós mesmos.

Adoooro.
Beijão

guguz1n disse...

que coisa de viado

Bruno Portella disse...

O que garante que, ao voltar, não será uma sombra novamente.

Ana fez uma crítica de um curta cotidiano. Dê uma olhada:

http://sandubadequeijo.wordpress.com